Friday, August 12, 2005

Ota e TGV, blogues e democracia

1. Também me parece mal. País pobre e em dificuldades tem de assumir a sua pobreza e as suas dificuldades. Manias de ricos são para ricos. Mas a minha opinião foi-se formando ouvindo as pessoas falar no assunto. Terão razão, como sou levado a crer?

Seja como for, também me parece mal, também sou contra o aeroporto da Ota e contra o TGV. Mas não entro na campanha dos blogues neste Sporting-Benfica da Ota e do TGV porque a exigência de democracia directa que os blogues representariam também me inspira cautela e cepticismo.

2. O blogue que iniciou a campanha, se entendi bem, marcou pontos políticos contra o Governo ao convencer outros blogues de que o que está em causa é a democracia. Mas esse blogue está conotado com uma pessoa que está longe de ser um exemplo de imparcialidade democrática nas suas opiniões e que além disso tem todo o interesse (político) em atacar os pontos de vista e as decisões do Governo. A mentalidade e o estilo desse blogue, aliás, sempre me pareceu que mantinham traços de uma rigidez soviética antiga, muito escolar. Eu sei, é um blogue de direita. Mas isso não impede aquilo.

3. Marcar pontos neste debate foi uma boa jogada do Abrupto. Mas jogadas são jogadas, jogadores são jogadores. A realidade é mais vasta.


P. S. dia 15 de Agosto: Recebi hoje uma mensagem de Luís Aguiar-Conraria assinalando-me que a iniciativa de exigir explicações ao Governo nestes casos foi iniciada por outros blogues e não pelo Abrupto - embora tenha sido o Abrupto a dar-lhe mais visibilidade. O Abrupto, nesse caso, terá apanhado o comboio em andamento e politizado partidariamente uma iniciativa alheia.